Skip to content
Alimentação infantil variada e equilibrada: descubra como fazer escolhas saudáveis para seu filho!

Alimentação Saudável

A criação de bons hábitos alimentares na infância é fundamental para o desenvolvimento e crescimento adequados. Confira como incentivar uma nutrição balanceada para as crianças e veja dicas para tornar a prática mais divertida e deliciosa.

A criação de bons hábitos alimentares na infância é fundamental para o desenvolvimento e crescimento adequados. Confira como incentivar uma nutrição balanceada para as crianças e veja dicas para tornar a prática mais divertida e deliciosa.

É justamente no início da fase escolar que a criança deseja ter maior autonomia sobre suas escolhas e busca formar seu próprio hábito alimentar, tornando-se muitas vezes mais seletiva, podendo carregar alguns comportamentos inadequados até a vida adulta.  Daí a importância em se educar e incentivar o caminho para uma vida saudável logo cedo, que inclui a prática regular de atividade física e uma alimentação equilibrada e variada, a fim de se evitar a falta (ou excesso!) de alguns nutrientes importantes para seu desenvolvimento físico e mental. Assim, uma vez o costume incorporado naturalmente na infância, a chance de permanência desse cenário até a vida adulta é maior, trazendo nada mais do que benefícios à saúde como um todo.

Durante toda a vida, mas em especial na infância, a alimentação equilibrada visa garantir um aporte nutricional adequado de macro e micronutrientes que são fundamentais para o crescimento e desenvolvimento saudáveis. Além disso, nessa fase da vida ocorrem etapas importantes como a formação do paladar cada vez mais apurado a determinados sabores; o acúmulo e fixação de cálcio favorecem o estirão de crescimento e a saúde dental e óssea; e a alimentação torna-se uma importante oportunidade para socialização.

No entanto, temos de pensar que crianças têm algumas particularidades e recomendações específicas, por isso, para cada faixa etária são indicadas recomendações, por diferentes instituições de saúde, como a Sociedade Brasileira de Pediatria, para evitar o desenvolvimento de obesidade e doenças crônicas no futuro.

Além disso, precisamos ficar atentos a alguns dados levantados recentemente em uma pesquisa do Ministério da Saúde, que mostrou, com base nas entrevistas, que o número de obesos no país aumentou 67,8% entre 2006 e 2018, saindo de 11,8% para 19,8% da população. O levantamento também apontou o índice de 30,8% no crescimento do número de pessoas com excesso de peso, saltando de 42,6% para 55,7% nesse mesmo intervalo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda alerta que estudos recentes comprovam que crianças acima do peso possuem uma probabilidade 75% maior de serem adolescentes obesos. E adolescentes obesos têm 89% de chance de se tornarem adultos obesos.

E como deve ser o cardápio do seu filho?

Para uma infância saudável, é indicada uma alimentação nutricionalmente apropriada e equilibrada, ou seja, adequada em quantidade, qualidade e variedade de alimentos, de modo a suprir as necessidades nutricionais de acordo com a faixa etária e com base nos grupos alimentares. As diretrizes da alimentação infantil saudável estão descritas na Pirâmide Alimentar Infantil, elaborada pelo Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP,2012), que retrata o aporte de nutrientes necessário para essa fase de intensa atividade física e grande ritmo de crescimento. Além disso,  o Manual de Orientação também publicado pela SBP, indica que as crianças não devem pular as principais refeições diárias, sendo elas café da manhã, almoço e jantar, e precisam realizar refeições intermediárias como lanches matutinos e vespertinos - em quantidades equilibradas, de modo a atender suas necessidades de nutrientes, para garantir um melhor desenvolvimento.

Conheça a “Pirâmide Alimentar Infantil” que indica a quantidade de porções de cada grupo alimentar que deve estar presente na alimentação diária da criança.

Fonte: Adaptado do Manual de Orientação Departamento de Nutrologia, SBP 2012

Torne a educação alimentar do seu filho mais divertida e gostosa

A criança não nasce com aversão a nenhum alimento, sendo que esse condicionamento acontece ao longo do tempo, à medida que ela é exposta a algumas escolhas pré-determinadas ou impostas pelo ambiente social à sua volta. Existem algumas estratégias que podem te ajudar nessa missão!

Mas, e quando falamos de sorvete?

Sim, eles também podem ser parte de uma alimentação variada e equilibrada na infância, sempre quando consumidos com moderação,  tamanho de porção adequada e dentro de um contexto de hábitos de vida saudáveis, aliados a um cuidado e responsabilidade nutricional de seu desenvolvimento. E esse é o grande diferencial dos os sorvetes da linha infantil da Kibon!

De modo geral, os alimentos, além de prover ao organismo um aporte adequado de nutrientes, apresentam um importante aspecto emocional e de socialização, especialmente para as crianças.

Nós, da Kibon, acreditamos que dentro de uma alimentação equilibrada e de um estilo de vida ativo há espaço para diversão e o consumo ocasional de guloseimas, desde que se respeite a frequência adequada e a moderação no tamanho de porções.  A Kibon quer apoiar os pais a fazerem escolhas mais balanceadas para seus filhos quando surge aquela vontade de comer um sorvete. Por isso, temos uma linha de sorvetes especialmente feita para crianças e criada para ser muito gostosa, divertida, com formas e cores diferentes, sempre com o cuidado de ter seu desenvolvimento acompanhado de perto pelo nosso time de nutricionistas.

 

Você já deve ter percebido que todas as nossas embalagens de produtos Kibon da linha Infantil possuem o selo de “Desenvolvido com nutricionistas. Feito para crianças”. Mas o que isso quer dizer?

Na Unilever, Nutrição faz parte de nosso plano global de sustentabilidade, o que inclui cuidado e responsabilidade nutricional no desenvolvimento de todos os nossos sorvetes e, em particular, quando esses são destinados à população infantil.

Para os sorvetes destinados à população infantil, asseguramos um perfil nutricional diferenciado, com porções e calorias controladas, assim como teores de açúcares e gorduras saturadas delimitados. Desde 2014, 100% de nossos sorvetes dirigidos às crianças contêm menos de 110 kcal por porção e cumprem com os mais altos padrões de nutrição da Unilever, que estabelecem parâmetros relacionados a calorias e quantidade de açúcar e gorduras saturadas baseados em diretrizes nacionais e internacionais com base na Organização Mundial da Saúde. Assim, nós entendemos que é possível fazer sorvetes deliciosos de uma forma responsável, para que possam ser consumidos de modo ocasional como parte de uma alimentação balanceada, aliada a hábitos de vida saudáveis, e que seu filho vai adorar.  Para mais informações sobre nossos sorvetes e o compromisso de nutrição da Kibon para sorvetes infantis, clique aqui.

Gostou desta matéria? Fique ligado que em breve postaremos mais dicas para você e sua família. E lembre-se, em caso de dúvida, sempre consulte um nutricionista!

palito de picolé

Referências Bibliográficas

1. Alvarenga M, Figueiredo M, Timerman F, Antonaccio C. Nutrição Comportamental. Barueri: Manole; 2019. Nutrição Comportamental no atendimento de crianças e adolescentes (capítulo 17) 433-442.

2. Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de Orientação Departamento de Nutrologia 3 Edição Revisada e Ampliada [internet] Rio de Janeiro; 2012 [acesso em 17 jun. 2020]. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/publicacoes/14617a-pdmanualnutrologia-alimentacao.pdf

3. Ministério da Saúde, Portal do Governo Brasileiro. Brasileiros atingem maior índice de obesidade nos últimos treze anos [internet] 2019 [acesso em 17 jun. 2020]. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45612-brasileiros-atingem-maior-indice-de-obesidade-nos-ultimos-treze-anos

4. Ministério da Saúde, Portal do Governo Brasileiro. Obesidade Infantil traz Riscos para a Saúde Adulta [internet] 2019 [acesso em 17 jun. 2020].   Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45494-obesidade-infantil-traz-riscos-para-a-saude-adulta