Skip to content
Reúna amigos e familiares: é hora de fortalecer laços e cultivar o prazer em comer bem!

Nutrição Comportamental

Além das trocas de experiência e acalorar as relações, compartilhar as refeições envolve melhores escolhas à mesa e uma relação mais equilibrada e saudável com a comida. Descubra como tirar melhor proveito no próximo encontro com os amigos!

Amigos conversando em uma mesa de almoço

Você já parou para observar como a mesa onde realizamos nossas refeições é um ponto de encontro privilegiado? É uma fonte de nutrição e celebração! Estar nesse ambiente acompanhado da família ou dos amigos é um modo simples de criar e desenvolver relações – e aprender com elas! Quando a refeição é compartilhada entre casais e filhos, por exemplo, transforma-se em uma ótima hora para trocar opiniões e planejar o futuro; no trabalho ou na escola, torna-se um exercício de convivência e entrosamento de grupos; em ocasiões especiais, como casamento, aniversários e festas em geral, propicia momentos prazerosos e inesquecíveis. O que você talvez ainda não saiba é que os benefícios de compartilhar uma refeição vão além desse envolvimento social importante.

Então, no próximo encontro com amigos e familiares, além de compartilhar o prazer que você sente quando prepara a sua receita favorita, que tal tirar melhor proveito do momento e ampliar a interação? Envolver todos nas atividades que antecedem ou sucedem o consumo das refeições é um ritual divertido. Divida as tarefas e chame os convidados para ajudar a montar a mesa e cortar os alimentos que vão ser utilizados no preparo. Além disso, avalie o perfil deles e respeite os hábitos, cultura e desejos de cada um na hora do paladar:

Opções simples e variadas

Para acertar com os pequenos, garanta um arroz branco e uma fonte de proteína (carne, frango, peixe, ovos e leguminosas) pois, normalmente, eles possuem um paladar mais restrito, mas não deixe de incentivar o consumo de frutas e legumes, afinal eles são essenciais para o desenvolvimento das crianças. Já para os adultos, use e abuse das frutas e vegetais da época, em saladas, sucos naturais ou na salada de frutas. Castanhas, nozes e frutas secas também costumam ser bem aceitas.

Os alimentos como frutas e verduras, importantes para uma alimentação equilibrada, são ricos em propriedades nutricionais e possuem ampla versatilidade culinária. Use a criatividade para elaborar pratos com legumes, folhas, raízes, lentilhas, grão-de-bico e outras leguminosas. Castanhas, nozes, amêndoas e amendoins podem ser usados como ingredientes de saladas, molhos, elaboração de pratos salgados e doces ou adicionados em saladas de frutas.

Opções alimentares para todos

Se o cardápio inclui uma carne no prato principal, avalie, por exemplo, se algum dos convidados é vegetariano ou vegano. Muitas pessoas estão abraçando esses estilos de alimentação, e você pode oferecer pratos diferentes e igualmente saborosos com ingredientes de origem vegetal. Fique atento também aos pratos que levam produtos com lactose no preparo e que devem ser evitados por intolerantes ou por outros convidados que queiram evitar, como molhos, massas, bolos, chocolates e sobremesas.

Da mesma forma, verifique se há a possibilidade de fazer ou comprar uma versão sem lactose do mesmo alimento que será servido aos demais, para que seu convidado se sinta à vontade e incluído na refeição. Que tal, antes do encontro, enviar uma minipesquisa aos convidados perguntando se eles têm alguma intolerância ou restrição alimentar? É simpático, todos vão sair felizes do encontro e você conseguirá se programar caso precise tratar de alguma particularidade.

Pratos afetivos, prazer em dobro!

Em uma alimentação equilibrada, há espaço para as indulgências. E que tal relembrar uma receita de família? Pode ser o prato principal ou aquela sobremesa da sua avó que costumava fazer sucesso nos encontros de família. Comida envolve o resgate da cultura e da história... deixe a emoção aflorar no seu encontro e encante seus convidados! Receitas mais simples e tradicionais como uma salada de frutas também podem ganhar uma cara nova: que tal acompanhá-la de uma bola de sorvete e algumas castanhas?

Cozinha compartilhada

Uma maneira de driblar a correria do dia a dia e garantir o encontro com os amigos é o sistema de menu colaborativo, em que cada um leva um prato de sua especialidade. A ideia funciona bem entre grupos com afinidade e que querem passar mais tempo juntos. O anfitrião da casa fica com a organização do encontro: garanta um cardápio completo, incluindo entrada, prato principal, sobremesa e bebida na quantidade ideal para todos. Aproveite também para caprichar na recepção: uma mesa bonita e uma música ambiente deixam a festa ainda mais gostosa.

O sorvete de sobremesa sempre é bem-vindo, trazendo um sorriso a todos. Compartilhe em porções adequadas agregando um toque pessoal. Que tal adicionar frutas, granola, aveia, nozes? É uma oportunidade para tornar ainda mais prazerosa a experiência de compartilhar um delicioso Kibon Cremossísimo, por exemplo!

Encontro no restaurante

Sair para comer fora e saborear uma culinária diferente também é uma experiência gastronômica deliciosa. Se deseja ir a um restaurante com os amigos, que tal dividir o menu degustação ou a especialidade da casa que, normalmente, vem em uma porção generosa? Assim, você não corre o risco de desperdiçar alimento caso não consiga comer tudo, e o passeio pode ser repetido mais vezes. E se sobrar, que tal levar o restante para consumir em casa e evitar o desperdício?

Como não faltam motivos e maneiras para você se reunir com os amigos ou familiares, fica aqui mais uma dica de ouro para deixar a sua degustação ainda mais prazerosa: coma sem pressa, desfrute o prazer sensorial proporcionado pela visão, aroma, textura e sabor dos alimentos de cada prato servido! Aceita o convite? Depois conte para nós como foi a experiência!

Gostou desta matéria? Fique ligado que em breve postaremos mais dicas para você e sua família. E lembre-se, em caso de dúvida, sempre consulte um nutricionista!

palito de picolé

Referências Bibliográficas

1. Antonaccio C e Figueiredo M. Mindful Eating: Comer com Atenção Plena. São Paulo: abril; 2018;

2. Moreira Sueli Aparecida. Alimentação e comensalidade: aspectos históricos e antropológicos. Cienc. Cult. [Internet]. 2010 Out [aceeso em 08 de julho de 2020]. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252010000400009&lng=en

3. Tosatti Abykeyla Mellisse, Ribeiro Letícia W., Machado Rachel Helena Vieira, Maximino Priscila, Bozzini Ana Beatriz, Ramos Cláudia de Cássia et al. Does family mealtime have a protective effect on obesity and good eating habits in young people? A 2000-2016 review. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [Internet]. 2017. [acesso em 08 de julho de 2020]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292017000300425&lng=en

4. Newman SL, Tumin R, Andridge R, Anderson SE. Family Meal Frequency and Association with Household Food Availability in United States Multi-Person Households: National Health and Nutrition Examination Survey 2007-2010. PLoS One. 2015;10(12):e0144330.
5. Christian MS, Evans CE, Hancock N, Nykjaer C, Cade JE. Family meals can help children reach their 5 a day: a cross sectional survey of children's dietary intake from London primary schools. J Epidemiol Comm Health.  2013; 67 (4): 332-8.